O que é essencial na Comunicação Online?

   22/07/2020  |     Anna Laura

Você percebeu o quanto a maneira como nos comunicamos mudou? Lives, chamadas de vídeo, reuniões virtuais – você sabe se ‘comportar’ em frente às câmeras?

Com muito orgulho participamos do ECO – Essencial da Comunicação Online, nos dias 6, 8 e 9 de julho. Foram três noites de troca de experiências com os melhores: Paulo Ferreira, um dos treinadores de palestrantes mais requisitados do país, e Bruno Scartozzoni, pioneiro em Storytelling corporativo no Brasil! Juntos eles já treinaram CEOs, artistas, jornalistas, médicos e influenciadores para falar em público de forma presencial e online.

E agora chegou a hora mais esperada: vamos compartilhar o que aprendemos com vocês! Então separa o bloquinho de anotações e preste atenção, tem muito conteúdo exclusivo e de valor aqui:

No primeiro dia, a aula foi com o Paulo Ferreira – onde aprendemos sobre Expressões Online.

Atenção é dívida: “Quando alguém resolve te ouvir, você recebe algo valioso, tempo e atenção, mas qual o valor que você entrega em troca?”  Fica o questionamento do Paulo para reflexão!

Falar é refletir: Falar sobre algo não é fazer algo, falar é tomar consciência sobre o que fazemos, refletir sobre a coisa para si mesmo, questionar-se. Por que você faz o que faz? O que você faz? Precisamos desse diálogo interno para depois sabermos nos expressar – comunicar é diferente de fazer.

Estar pronto é tudo: Prepare-se, mesmo que saiba o que vai dizer – anote, treine.

Você não fala para a câmera: Você fala para as pessoas, é sobre pessoas, pense nelas. A câmera não se aprimora, pense em quem vai se aprimorar com sua fala. Imagine para quem você está falando –  pense em amigos, alguém que você gosta e se sinta confortável.

Autoridade: “A autoridade vem do conhecimento”. Se você conhece o assunto de verdade, você saberá ajustar os pontos para sua fala.

TAKEAWAY: Vem da ideia de levar para casa – onde você quer levar seu público?

Takeaway é como um GPS, a construção do caminho para que o público chegue ao conhecimento e ao aprendizado pretendido por você. A marca de uma entrega de comunicação bem feita é conseguir transmitir o pensamento. É sobre ser 100 vezes compreendido, não é só sobre converter.

Frase que nos marcou:

“O formalismo caiu, mas ainda precisa se entregar valor”.

Sentiram que o primeiro dia foi espetacular né? Nossa segunda aula foi sobre Conteúdo Online com o Bruno Scartozzoni. Prepare-se para mais anotações incríveis:

Storytelling não é uma ciência exata, cada caso é um caso. Utilize a emoção para conquistar a atenção.”

Trazendo emoção para o conteúdo: Histórias são sempre sobre a vida das pessoas, não sobre o que você quer vender. Envolva seu produto em uma história com personagens, com desejos e desafios. A gente se conecta com pessoas e emoções, não com números. Quer um exemplo? 60 mil mortes por Coronavírus, vira um número se não conheço alguém. Mas quando contam a história da Maria que acabou falecendo, me identifico.

Estruturando a apresentação:

Começo = abertura (impacto)

Meio = desenvolvimento (racional)

Fim = conclusão (ensinamento, ação). O que vai gerar mais impacto? É o começo de uma nova história.

Discurso x imagem: O ideal é que você não comece sua apresentação com os slides, apareça primeiro! E claro, não disponibilize os slides antes – o ser humano é ansioso por natureza, enquanto você estiver lendo a linha 1, ele já estará na 10.

Dicas:

– Conte histórias.

– Insira tristezas, insira sexo, insira ameaça.

– Treinem seu olhar para as histórias.

– Números por si só são só números, ressignifique-os, conte histórias através deles.

– Use de metáforas, analogias.

– Disponibilize uma informação por vez.

– Conte o tempo da sua apresentação através do áudio – vale se enviar por WhatsApp.

– Evite vídeos durante a apresentação, comente sobre e envie depois.

Frase que nos marcou:

“Gente se identifica com gente”.

Na terceira noite de ECO o Paulo e o Bruno conversam com a turma – tirando dúvidas, aprofundando conceitos e ajudando a resolver problemas. Algumas dicas finais foram:

  • Fazendo o que você sempre faz, você terá o resultado que sempre teve.
  • Não enrola, nem na abertura.
  • Não achamos o que queremos enquanto não sabemos o que estamos procurando.

Foram noites regadas a muito conteúdo e boas risadas – afinal, aprender também pode ser divertido e com esses dois nós aprendemos e MUITO, sempre.

Comentários

Compartilhe nas redes sociais

CADASTRE-SE PARA RECEBER NOVIDADES