Bem-vindo ao time do Home Office!

   24/03/2020  |     Anna Laura

Como compartilhamos na semana passada no Instagram, a Âme Storytelling nasceu e escreveu todos os seus capítulos até hoje em Home Office. Comecei trabalhando de casa, pois o faturamento na época não me permitia grandes investimentos, como o aluguel de um espaço. Era eu, um notebook, uma mesa e meu hamster como companhia.

De lá para cá muita coisa mudou e não foi apenas a minha companhia, que agora é uma gata. A Âme passou a atender muitas marcas, recebeu confiança, reconhecimento e hoje conta com mais dois pares de mãos e duas mentes criativas, que também executam tudo remotamente, de suas casas.

E aí chega 2020 e o Coronavírus. Muitas empresas mudam rapidamente o modelo de trabalho para garantir a segurança de seus funcionários, que começam a executar suas tarefas de casa, remotamente. E todo esse processo me faz lembrar o início da Âme Storytelling novamente.

Há cinco anos eu não tinha tanto orgulho assim em dizer que minha empresa era Home Office. O motivo? Isso gerava insegurança. “Ela trabalha em casa? Então é uma empresa pequena. Não tem porte para me atender. O trabalho dela não deve render. O atendimento não deve funcionar.” Eu escondia esse fato para me proteger e proteger a Âme.

Hoje sinto orgulho da nossa história e do nosso modelo, que nos permite realizar tudo o que todas as outras empresas do nosso segmento realizam, mas no conforto dos nossos lares. Isso, pra mim, é sinônimo de bem-estar emocional.

E o que posso dizer para aqueles que aderem a esse modelo agora, na busca pelo bem-estar físico de suas equipes? Existem dicas básicas, como: organizar um espaço para o trabalho, criar uma rotina, definir as tarefas e horários, ter disciplina e comprometimento. Em resumo, hora de trabalho é hora de trabalho, com o benefício de poder usar chinelos ou pantufas. Falando nisso, na minha opinião, o dress code do Home Office é justamente não ter dress code. Venha no meu Home Office de surpresa e você vai conhecer meu look conforto, acompanhado pela cara lavada e cabelos presos. O principal é foco, não o visual.

Mas quero ir além aqui. Quero falar com aqueles que administram as empresas que precisaram assumir agora o modelo Home Office. Será que essas pessoas estão prontas para gerenciar e monitorar o progresso do trabalho de suas equipes sem ver as pessoas pessoalmente? A grande maioria, não. E minha solução para isso passa por dois pontos principais:

1. Confie na sua equipe.

Confie que você escolheu as pessoas certas e passe essa confiança para elas. Preocupe-se também em transmitir o propósito da sua empresa para essas pessoas. Elas precisam levar esse propósito para casa e lembrar dele todos os dias, assim que acordam para trabalhar. Minha sugestão? Histórias. Elas são sempre o caminho mais fácil para explicar algo tão complexo como o propósito, a missão, os valores ou como você queira chamar. Compartilhe a sua história, a história da sua empresa, a história dos seus clientes.

2. Foque no processo. Foque no processo. Foque no processo.

Assim que a segunda colaboradora da Âme chegou em março, eu me dediquei quase que integralmente a organizar o processo. Sem ele, ninguém sabe o que tem que fazer ou como tem que fazer. O trabalho precisa fluir como se as pessoas estivessem sentadas uma ao lado da outra em um escritório. É fácil? Não é, ainda mais para as empresas que estão assumindo esse modelo às pressas agora. Mas tente focar. Encontre ferramentas que possam te ajudar. Existem várias gratuitas! Combine os horários com a sua equipe, quando vão iniciar, onde vão trocar mensagens (uma dica aqui é evitar as Redes Sociais ou mensageiros padrão, como o WhatsApp, para não gerar possíveis distrações), quando vão conversar em uma chamada de vídeo ou o que precisar para a atuação no seu segmento. O importante é criar e melhorar o processo. Você e sua equipe, juntos.

Minha última dica? Fique em casa. Se perceber como esse modelo pode ser bom e decidir ficar em casa depois da quarentena, já fica aqui meu “bem-vindo ao time do Home Office!”

Anna Laura Neumann

Comentários

Compartilhe nas redes sociais

CADASTRE-SE PARA RECEBER NOVIDADES